Arquivo da tag: desapego

desapego

Foi realmente um exercício de desapego, mas hoje joguei fora minhas agendas que guardava desde 1995…! ok, ok, como assim, 1995!!? Pois é, mas eram minhas memórias, minha história. Praticamente toda menina que cresceu na década de 90 fez de sua agenda o seu diário, não adianta negar. E ali, haja coisa pra contar! Só que chega uma hora que outros pedaços da história pedem espaço nos armários e gavetas, e você fica lembrando das pessoas que têm a tal da síndrome da acumulação compulsiva  e que guardam coisas absolutamente inúteis e não conseguem nunca se desfazer daquilo. Daí você abre a sua gaveta e diz: ok, hoje vocês vão pro lixo.

Não foi fácil. Primeiro porque deu vontade de ficar lendo tudo o que eu escrevi ali. Era o início da minha pré-adolescência, foi quando eu comecei a escrever sobre minhas paixonites, e depois aquilo foi se aprimorando e minhas agendas foram virando um artefato artístico, cheio recadinhos de amigas, de colagens e desenhos malfeitos. Tudo quanto é papel de bombom, chocolate, flyer, bilhete de cinema, de teatro, de shows e o que mais desse na telha eu colava nas agendas. E as fotos, então? Cada evento de que eu tivesse alguma foto, eu punha um clip pra segurar a foto na data correspondente. E clips bem coloridos, claro. E achei cada uma, gente…Umas que nem hesitei em jogar fora (tem gente nessa vida que a gente faz questão de esquecer, né?), mas outras que me deram aquela nostalgia gostosa…Gente que eu não vejo há anos, de quem perdi o contato – e nem adianta tentar os telefones velhos anotados, pois ou teve dígito adicionado, ou a pessoa já mudou o número faz tempo.

É, realmente não foi simples. Principalmente porque evitei ao máximo ficar relendo cada página. Teria sido incrível, com certeza. Mas eu não teria coragem de ter jogado tudo fora e elas estariam entulhadas em algum canto de armário até que eu decidisse, daqui há alguns anos, tocar nelas outra vez. Como eu disse, é a minha história. E como assim botar no lixo esses fragmentos de “Mariana”? Pois é. Mas é uma outra Mariana, uma Mariana que fez essa Mariana de hoje, mas que já não faz mais sentido para mim. São páginas literalmente viradas, com lindas lembranças que devem ficar guardadas em mim, e não em gavetas juntando pó. E assim foi: gavetas renovadas, com espaço para outras histórias.

(Agora paro por aqui, porque tá me dando comichão e eu estou quase indo lá na lixeira catar as agendas de volta. Vou parar de falar no assunto pra ver se sossego o facho e não cometo essa loucura!! hahaha)